Home Entertainment Inundações no Afeganistão devastam aldeias e matam 315 pessoas | Inundações

Inundações no Afeganistão devastam aldeias e matam 315 pessoas | Inundações

1
0


Cheias repentinas, causadas por fortes chuvas, devastaram aldeias no norte do Afeganistão, provocando a morte de 315 pessoas e ferimentos em cerca de outras 1600, afirmaram as autoridades afegãs no domingo. Enquanto os sobreviventes enterravam as vítimas mortais, as agências de ajuda humanitária alertavam para o agravamento dos estragos causados pelas inundações.

De acordo com o Ministério dos Refugiados, dirigido pelos talibãs, milhares de casas ficaram danificadas e o gado foi dizimado, enquanto as organizações de ajuda humanitária alertaram para os danos causados às instalações de cuidados de saúde e às infra-estruturas vitais, como o abastecimento de água. Muitas ruas, por exemplo, ficaram cobertas de lama e escombros.

No distrito de Nahrin, na província de Baghlan, as pessoas transportaram os seus mortos envoltos em mortalhas para uma sepultura. “Não temos comida, não temos água potável, não temos abrigo, não temos cobertores, não temos nada, as inundações destruíram tudo, disse Muhammad Yahqoob, que perdeu 13 membros da sua família, entre os quais crianças.

Os sobreviventes estão a ter dificuldades em lidar com a situação, acrescentou Muhammad Yahqoob. “De 42 casas, restam apenas duas ou três, destruiu todo o vale”, disse.

Numa declaração, o ministro da Economia dos Talibãs, Din Mohammad Hanif, instou as Nações Unidas, as agências humanitárias e as empresas privadas a prestarem apoio às pessoas afectadas pelas inundações.

Vidas e meios de subsistência foram arrastados [pelas águas], disse Arshad Malik, o director da Save the Children no Afeganistão. As inundações arrasaram as aldeias, varrendo casas e matando gado.O Presidente da Comissão estimou que 310.000 crianças viviam nos distritos mais afectados, acrescentando: “As crianças perderam tudo”.

O Ministério dos Refugiados informou que a última contagem de mortos e feridos no domingo veio do seu gabinete provincial de Baghlan, de acordo com uma publicação na rede social X (antigo Twitter). Anteriormente, o Ministério do Interior tinha estimado em 153 o número de mortos e feridos nas cheias de sexta-feira, mas avisou que o número poderia aumentar.

O Afeganistão é descrito como um país propenso a catástrofes naturais e as Nações Unidas consideram-no um dos países mais vulneráveis às alterações climáticas.

O país tem lutado contra a escassez de ajuda após a tomada do poder pelos talibãs e a retirada das forças estrangeiras em 2021, uma vez que a ajuda ao desenvolvimento, que constituía a espinha dorsal das finanças públicas, foi cortada.

Esta situação agravou-se nos anos seguintes, à medida que os governos estrangeiros se debatiam com crises globais concorrentes e com a crescente condenação das restrições impostas pelos talibãs às mulheres afegãs – a limitação ao trabalho, estudo ou à livre circulação, por exemplo.





Source link

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here